Condenados

Acusados da morte de garota de programa são condenados a mais de 15 anos de prisão

A vítima era usuária de drogas e estaria delatando traficantes à polícia e fazendo trabalhos de magia negra para que não fosse vendida droga no local em que ela fazia ponto de prostituição





//

André Luiz Marques da Silva e Maycon Miranda do Nascimento foram condenados a 16 anos de reclusão e Leandro Fernandes Dias a 15 anos e 6 meses de reclusão pelo homicídio de Kelly Tatiany Costa Silva.

Os três deverão cumprir as penas na Penitenciária Odenir Guimarães, do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, em regime inicialmente fechado. A decisão é do 1º Tribunal do Júri de Goiânia, em sessão presidida pelo juiz Jesseir Coelho de Alcântara e realizada nesta terça-feira (24).

No momento do debate, o representante do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) pleiteou a condenação dos acusados nos limites da pronúncia. De acordo com o MPGO, André e Maycon mataram a vítima a mando de Leandro, por motivo torpe e utilizando meio cruel.

Segundo o representante ministerial, Leandro é traficante de drogas na Região Noroeste da capital e mantinha André e Maycon sob o seu comando. A vítima era garota de programa, usuária de drogas e estaria delatando os traficantes à polícia e fazendo trabalhos de magia negra para que não fosse vendida droga no local em que ela fazia ponto de prostituição.

Kelly Tatiany Costa SilvaA defesa dos acusados André Luiz, Maycon e Leandro sustentou a tese absolutória da negativa de autoria. Alternativamente, o defensor de André Luiz pugnou pela retirada das qualificadoras descritas na denúncia e mantidas na decisão de pronúncia. No entanto, o Conselho de Sentença, reconheceu que o crime foi praticado por motivo torpe e com emprego de meio cruel. Os familiares de Kelly Tatiany Costa Silva estavam presentes à sessão do Tribunal do Júri.

No dia do crime, 18 de maio do ano passado, Maycon e André, após entrarem em luta corporal com a vítima, a dominaram e a asfixiaram com um instrumento que comprimiu seu pescoço. Depois de matarem Kelly, os dois a penduraram com um cinto atado a uma caixa de ferro na calçada, que guarda fios telefônicos. Os três denunciados foram presos no dia seguinte.