EM GOIÁS

Acusado de agredir ex-namorada teria forjado mensagens dela para se inocentar

"Me desculpa por inventar tudo isso", escreveu o suspeito numa mensagem, fingindo ser a vítima


Ton Paulo
Do Mais Goiás | Em: 22/09/2020 às 17:14:32

Foto: PCGO
Foto: PCGO

Um homem de 20 anos foi preso na manhã desta terça-feira, 22, no município goiano de Varjão, suspeito de descumprir medida protetiva e forjar mensagens da ex-namorada para tentar se livrar de um inquérito no âmbito da Lei Maria da Penha. O suspeito teria coagido a vítima, pegado seu celular e enviado mensagens do aparelho para o seu próprio “desmentindo” o conteúdo das acusações da vítima.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Arthur Fleury, o suspeito já respondia por um inquérito por agressão contra a ex-namorada, também de 20 anos, e cumpria medida protetiva, sendo impedido de se aproximar da vítima.

Porém, ainda conforme o delegado, o rapaz marcou um encontro com a ex e, na expectativa de ser inocentado no inquérito, mandou mensagens do celular da moça para o seu próprio para criar a situação em que a moça “admitia” que havia inventado uma história para prejudicá-lo. “Eles se encontraram e ele a coagiu, colocou uma pressão psicológica nela. Ele pegou o celular dela, escreveu aquelas mensagens e enviou pra si mesmo”, contou Fleury.

Em uma das mensagens, o suspeito, se passando pela vítima, diz: “Eu vancei (sic) em você e você se defendeu, e por raiva de você ter quebrado o meu celular me machuquei pra te incriminar!”. Já em outra, a “vítima”, que na verdade era o suspeito, diz: “Me desculpa por inventar tudo isso, espero que me perdoe”.

No momento em que foi intimado, o suspeito apresentou as mensagens e alegou que a ex-namorada havia feito a denúncia para prejudicá-lo. Porém, ao analisar o conteúdo das mensagens, o delegado suspeito que havia algo errado.

“Olhei aquela situação e resolvi verificar. Olhamos as mensagens e nas investigações percebemos que, na verdade, elas estavam muito fantasiosas, mensagens muito forçada. Intimei a vítima novamente e percebi que tudo não passava de uma farsa”, conta Fleury. Caso a mentira não fosse descoberta, a vítima poderia responder pelo crime de denunciação caluniosa.

Veja o print das mensagens:

Diante das provas, a Polícia Civil, então, representou pela prisão preventiva do suspeito, que foi cumprida nesta manhã, terça-feira, no município de Varjão. De acordo com o delegado, o homem será indiciado pelos crimes de lesão corporal, fraude processual, constrangimento ilegal e descumprimento de medida protetiva de urgência.

Ele está recolhido na Casa de Prisão Provisória (CPP) por tempo indefinido, uma vez que, segundo o delegado Fleury, a prisão preventiva não possui prazo determinado.