Fiscalização

Ação de fiscais da Prefeitura na Rua 44 deixa população indignada; veja vídeo

Cena registrada ma manhã desta sexta mostra guardas civis e fiscais apreendendo mercadorias de um homem que vendia bebidas na região




Uma situação registrada em vídeo na Rua 44 na manhã desta sexta-feira (19) causou indignação a quem a presenciou. Fiscais da prefeitura junto com guardas civis municipais teriam abordado um homem que vendia bebidas na região, quebrado seu isopor e apreendido parte dos itens.

As imagens mostram garrafas d’água e latas de refrigerante e energético esparramados pelo chão junto a pedras de gelo. Indignada, uma mulher narra que os guardas teriam jogado os produtos no chão e batido no trabalhador que os vendia.

No vídeo os guardas e os fiscais discutem com o dono da mercadoria. Ao final, o homem se afasta enquanto um fiscal pega uma caixa de isopor quebrada com algumas garrafas e a coloca no veículo da prefeitura. “É uma humilhação”, diz uma mulher que presencia a cena.

Testemunhas relataram ao Mais Goiás que situações como essa são constantes. Alegando que o comércio nas vias públicas da Rua 44 não são permitidos, fiscais da prefeitura, em conjunto com a Guarda Civil Municipal, estariam recorrentemente apreendendo mercadorias em ações tidas como truculentas.

“Eles chegam daquele jeito lá”, afirma um homem que também faz comércio ambulante na região. “Na semana passada eles quebraram um carrinho de vidro que um homem usava para vender frutas”, denuncia.

Segundo o homem – que não quis se identificar –, o comércio na rua é, em muitos casos, a única saída para alguns vendedores poderem manter as próprias lojas na região. Ele próprio já teria deixado de manter um estabelecimento diante da impossibilidade de custeá-lo sem um rendimento extra. “Para pagar o aluguel da loja, que está muito caro, a gente tem que vender na rua para complementar. Mas é isso que está acontecendo por lá”, afirma.

Resposta

Em nota, a Secretaria de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) disse que a informação de que auditores fiscais da pasta “jogam mercadorias do ambulantes no chão” não procede. “Os profissionais que atuam na Rua 44 e região trabalham com respeito e dentro dos limites da lei, tanto que, o vídeo não comprova esse tipo de conduta dos mesmos.”

A secretaria ainda afirmou que alguns ambulantes oferecem resistência no momento da abordagem e que eles costumam jogar a própria mercadoria no chão para dificultar o trabalho dos auditores fiscais.A Seplanh ressaltou, no comunicado, que os auditores fiscais exercem suas atividades com competência e que esse tipo de postura não condiz com o trabalho desenvolvido pela pasta.