Igor Caldas
Do Mais Goiás

Abertura de comércio na capital tem baixo impacto no transporte em Aparecida

Goiânia abre as portas do comércio com escalonamento de horário a partir desta quarta-feira (31)

Transporte Público Aparecida (Foto: Juscimar Sousa/MaisGoiás)
Transporte Público Aparecida (Foto: Juscimar Sousa/MaisGoiás)

O primeiro dia de abertura do comércio em Goiânia refletiu em pequeno aumento na demanda do transporte público em Aparecida no pico de horário desta manhã (31). O município vizinho da capital registrou um aumento de 6% na demanda de passageiros em relação ao mesmo período do dia anterior (30). Apesar da pequena variação, o fluxo ainda é superior ao esperado para condições de isolamento social.

O volume de passageiros no pico da manhã foi de 5040 usuários ainda está 20% maior do que a média de passageiros que circulavam em Aparecida durante o período entre março e abril de 2020, quando o isolamento social estava decretado na Região Metropolitana de Goiânia. Esta é a demanda considerada como esperada pela RedeMob Consórcio em períodos de isolamento social.

Capital

Em Goiânia, o aumento do fluxo de transporte coletivo foi ainda menor e representou um acréscimo de apenas 3% em relação ao mesmo horário de pico da manhã da última terça-feira (30). De um dia para o outro, o fluxo de passageiros no pico da manhã foi de 5659 para 5861 usuários.

Questionada sobre o pequeno aumento na demanda do transporte coletivo nas duas cidades, o Consórcio RedeMob respondeu que vários fatores podem ter influenciado esse resultado. Um deles, é a véspera de ponto facultativo decretado pelo Governo do Estado no dia 1º de abril, que precede o feriado prolongado da Semana Santa.

O outro motivo deve ser o escalonamento de horário das atividades comerciais adotadas pela Prefeitura de Goiânia que definiu os períodos de funcionamento por setor de atuação: Comércio (geral): das 9h às 17h, Prestação de serviços (geral): das 12h às 20h. O período de funcionamento das atividades foge ao horário de pico na demanda pelo transporte público.

O Mais Goiás também questionou a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivo (CMTC) sobre o resultado da baixa demanda no transporte público no primeiro dia de liberação de atividades comerciais na capital.

A CMTC respondeu por meio de nota que o dia 31 é véspera de ponto facultativo e feriado prolongado, mas a demanda de usuários deve aumentar gradativamente nos próximos dias. Além disso, a companhia pontuou que o escalonamento do horário de atividades comerciais na capital também contribui para o pequeno aumento no volume de passageiros. “A cidade passa por um momento atípico e está em busca de adequações para passar por esse período restritivo com equilíbrio dos segmentos”, diz a nota

Medidas restritivas

Além disso, o transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia está com medidas restritivas para diminuir as aglomerações e fluxo de passageiros nos terminais e no interior dos veículos. Foi decretado que os ônibus só devem circular com 50% de lotação máxima de passageiros. Desde a última terça-feira (23), o embarque prioritário foi estabelecido em todos os terminais da Grande Goiânia.

A medida dá prioridade de embarque aos trabalhadores de serviços essenciais nos horários de pico dos terminais de ônibus da Grande Goiânia. A limitação de embarque está sendo feita por meio de cadastro na plataforma Embarque Prioritário e do sistema de bilhetagem eletrônico. No entanto, A CMTC informa que a operação do transporte na região metropolitana no feriado da Sexta-Feira da Paixão será normal, sem horário prioritário de uma hora e meia reservado ao embarque de usuários de serviços essenciais.