Exemplo de vida!

Abandonado quando bebê, homem torna-se juiz da Vara da Infância e da Juventude

O magistrado foi doado em uma caixa e sapatos quando era recém-nascido e hoje trabalha em favor de crianças e adolescentes de Pernambuco


Fabricio Moretti
Do Mais Goiás | Em: 07/02/2019 às 19:03:55

Juiz trabalha na Vara da Infância e Juventude de Caruaru (Foto: Reprodução)
Juiz trabalha na Vara da Infância e Juventude de Caruaru (Foto: Reprodução)

José Fernando Santos de Souza, 59 anos, é juiz na Vara da Infância e da Juventude de Caruaru, Pernambuco. Ele aprendeu sobre a importância da adoção e do trabalho em prol de crianças e adolescentes, baseado em sua própria história: quando recém-nascido, foi deixado pela mãe biológica em uma caixa de sapatos e entregue a uma mulher em uma praça no centro de João Pessoa, Paraíba.

O homem foi criado pela mãe adotiva e pelo marido, policial militar, já falecidos. “O importante foi o carinho, o amor e os estudos que eles me deram. Você não tem outra possibilidade de galgar alguma coisa na vida sem estudar”, afirmou o juiz.

Hoje casado, o magistrado tem três filhos e três netos. Já atuou como juiz da Vara da Fazenda em Caruaru e foi analista judiciário no tribunal regional do trabalho da Paraíba, mas foi na Vara da Infância e da Juventude que encontrou sua vocação, atendendo atualmente dezenas de cidades na região de Caruaru.

“Gosto de trabalhar com adoção por ser fruto de uma. Por isso decidi essa área como se fosse um sacerdócio mesmo. Não tenho raiva da minha mãe biológica, o sentimento que cultivo é a gratidão por ter tido a oportunidade de seguir a minha vida e formar uma família”, diz José.