"Que beijinho doce..."

‘A Favorita’ entra para catálogo da Globoplay em maio

Trama estrelada por Patrícia Pillar e Claudia Raia inovou no horário das 21h e rendeu bons frutos à Globo


Murillo Soares
Do Mais Goiás | Em: 30/04/2020 às 19:43:40

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

“Duas mulheres. Duas versões de uma mesma história”. Embora não tenha sido escalada para o Vale A Pena Ver De Novo, como os fãs pediam nas redes sociais, A Favorita poderá ser revisitada. A novela, assinada por João Emanuel Carneiro – o mesmo autor de Avenida Brasil – chegará ao catálogo da Globoplay em maio.

O folhetim foi inovador por não entregar quem é a vilã logo de cara. O que sabemos é que Flora (Patrícia Pillar) e Donatela (Claudia Raia) eram amigas e companheiras de dupla sertaneja. Uma se casa com Marcelo (Flavio Tolezani), enquanto a outra se torna amante dele.

Quando ele é assasinado, Flora leva a culpa, mesmo afirmando que Donatela é a assassina.

A dúvida e o toma lá da cá perdura por vários capítulos, até descobrirmos que Flora realmente é a assassina e a grande vilã da história. A partir daí, dá-se um grande plano de vingança para retomar o que lhe foi privado ao ser presa.

Em nota oficial divulgada à imprensa, a Rede Globo não deu uma data para a estreia da novela no catálogo do Globoplay.

Coesão e aclamação

A Favorita foi um sucesso de crítica e público. Exibida originalmente entre 2008 e 2009 na faixa das 21h, a novela foi aclamada pelo roteiro e, principalmente, pela atuação de Patrícia Pillar.

A novela também discutiu violência doméstica, com Catarina, personagem vivida por Lilia Cabral, e foi reconhecida por isso. Também tratou, aqui e ali, de racismo, homofobia e o romance entre uma mulher mais velha e um homem mais jovem.

Que beijinho doce e demais memes de A Favorita

A novela não foi sucesso apenas na televisão, como também na internet. As frases de Flora viraram memes pelas redes sociais, com destaque para os xingamentos à filha, Lara (Mariana Ximenes) e à inimiga, Donatela. A personagem chamava uma de “purgante” e outra de “vaca”.

Cenas em que fala de Irene (Glória Menezes) – “que velha safada!” -, Halley (Cauã Reymond) – “moleque gostoso” -, e Gonçalo (Mauro Mendonça) – “gente velha é um perigo, morre por qualquer coisinha” – também ganharam comunidades do Orkut e os primórdios do Twitter e do YouTube.

Nenhuma, entretanto, caiu mais na boca – ou nos dedos – dos internautas do que “Beijinho Doce”. Em dado momento da trama, Flora arrisca reviver os tempos de cantora e faz um cover desta canção. Ela não agrada e faz uma série de exigências aos presentes (assista abaixo).

O que ela não sabia é que a internet embarcou na onda e fez diversos remix com a performance. Colocaram os vocais de Flora em instrumentais e música pop e o rosto da vilã em capas de discos.

Flora Beijinho Doce A Favorita

(Foto: Reprodução/Redes Sociais)