Eduardo Pinheiro
Do Mais Goiás

43,7% não apresentaram documentos para embarque prioritário nos ônibus de Goiânia

Prazo final é cinco de abril

A partir da próxima terça-feira (23), apenas trabalhadores que atuam em áreas essenciais poderão utilizar os ônibus do transporte coletivo nos horários de pico, na Grande Goiânia. (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)
Apenas trabalhadores que atuam em áreas essenciais poderão utilizar os ônibus do transporte coletivo nos horários de pico, na Grande Goiânia. (Foto: Jucimar de Sousa/Mais Goiás)

Mais de 44 mil usuários de transporte coletivo fizeram cadastro para embarque prioritário junto à Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RTMC), mas ainda apresentaram nenhum documento que comprove que fazem parte de atividades e setores essenciais. Caso não apresentem a documentação, podem ser barrados já na próxima terça-feira (6).

O número dos usuários que não apresentaram a documentação chega a 43.79% do total, já que até a quinta-feira (1), 102.459 usuários fizeram cadastros de passageiros para o embarque prioritário na RMTC.

A RMTC, neste sentido, alerta que os cadastros feitos apenas com justificativas se não atualizados não poderão usar o serviço de transporte coletivo nos horários de pico. O prazo dado pela Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMT) se encerra na próxima segunda-feira, 5.

Embarque prioritário

Conforme já mostrou reportagem do Mais Goiás, a restrição no embarque de passageiros que não são trabalhadores das atividades essenciais fez com que o fluxo de pessoas no transporte coletivo reduzisse 40,6%, em Goiânia e região Metropolitana, segundo a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC). A medida começou a valer no dia 23 de março e determina que para utilizar os ônibus em horário de pico é preciso realizar um cadastro.