Do Mais Goiás

10 álbuns vencedores do Grammy para escutar no Dia do Rock

U2, Alanis Morissette, Coldplay e muito mais! Conheça (ou escute novamente) dez discos premiados e aclamados pela crítica

dia do rock música grammy rock álbum
'Drones' de Muse, 'Social Cues' do Cage the Elephant e 'American Idiot' do Green Day ganharam o Grammy de Melhor Álbum de Rock (Foto: Reprodução)

Nesta segunda-feira, 13 de julho, é celebrado o Dia Mundial do Rock. E, para celebrar a data, o Mais Goiás preparou uma lista com dez álbuns que venceram o Grammy na categoria Melhor Álbum de Rock.

Tem desde discos mais atuais, como Social Cues do Cage the Elepahnt até trabalhos mais antigos, como Jagged Little Pill de Alanis Morissette.

Mas, antes, é importante contarmos a história por trás deste dia: a data remete ao dia 13 de Julho de 1985, quando Bob Geldof idealizou o festival Live Aid, criado para arrecadar fundos no combate a fome na África. O evento foi transmitido para o mundo todo, atingindo uma audiência de quase 2 bilhões de pessoas.

Agora que acabou a aula de História, aumente o volume, porque hoje é dia de rock bebê!

Cage The Elephant – Social Cues (2019)

A banda Cage the Elephant já tinha levado para a casa o Grammy em 2017, com o álbum Tell Me I’m Pretty, quando na edição mais recente da premiação também faturou a estatueta. Social Cues é o quinto disco de estúdio do grupo, lançado em abril de 2019.

O álbum possui 13 faixas, incluindo a música Night Running, parceria com o cantor Beck. As composições de Social Cues foram influenciadas por problemas pessoais do vocalista da banda, Matt Schultz, que passou por um divorcio e a perda de três amigos. Destaque para as músicas: Social Cues, Night Running, Black Madonna e Ready to Let Go.

O trabalho do Cage the Elephant disputou o Grammy com: Amo – Bring Me The Horizon ; In the End – The Cranberries; I Prevail – Trauma e Feral Roots – Rival Sons.

Nota no Metacritic: 7.5

Muse – Drones (2016)

Outra banda que levou o prêmio pela segunda vez, o Muse já tinha ganhado o Grammy pelo álbum The Resistance, em 2011. O vocalista da banda, Matthew Bellamy afirmou que o tema de Drones tinha a ver com ecologia profunda, falta de empatia e Terceira Guerra Mundial.

Com 12 canções, o disco se tornou o primeiro do Muse a estrear em primeiro lugar nos Estados Unidos, ao vender cerca de 84 mil cópias na semana de lançamento. A revista Kerrang! deu nota máxima para o álbum, afirmando que era um “clássico claustrofóbico onde o foco é o rock pensando alto”. Destaque para as músicas: Psycho, Mercy, Heapers, The Handler e Defector.

O Muse concorria a Melhor Álbum de Rock com os trabalhos: Chaos And The Calm – James Bay; Kintsugi – Death Cab For Cutie; Mister Asylum – Highly Suspect e 5: The Gray Chapter – Slipknot.

Nota no Metacritic: 6.3

Beck – Morning Phase (2015)

Além do prêmio de Melhor Álbum de Rock, Morning Phase venceu outras duas categorias no Grammy: Melhor Engenharia de Som e o tão cobiçado Álbum do Ano. Inclusive, na época da premiação comentou-se muito a vitória, pelo fato do disco ser considerado o menos popular entre os indicados, que tinha nomes como Beyoncé e Ed Sheeran.

Segundo a crítica publicada pelo O Globo, Morning Phase “tem qualidades dos melhores discos do americano: canções bonitas de doer, instrumental cristalino, predominantemente acústico, etéreas harmonias vocais e a sensação de se viver num mundo paralelo de entorpecimento estético”.

O trabalho de Beck disputou o prêmio de Melhor Álbum de Rock com: Ryan Adams – Ryan Adams; The Black Keys – Turn Blue; Tom Petty and the Heartbreakers – Hypnotic Eye e U2 – Songs of Innocence. Já na categoria Álbum do Ano, Morning Phase venceu os concorrentes: Beyoncé – Beyoncé; Sam Smith – In The Lonely Hour; Pharrell Williams – G I R L e Ed Sheeran – X.

Nota no Metacritic: 8.1

The Black Keys – El Camino (2012)

El Camino é o sétimo álbum de estúdio da banda The Black Keys, lançado em dezembro de 2011. A Rolling Stone colocou o disco na 12ª posição dos melhores álbuns de 2011 e a música Little Black Submarines como a 18ª melhor canção daquele ano. Já os leitores da revista elegeram Lonely Boy como a 3ª melhor música de 2011.

El Camino possui onze faixas e alcançou a segunda posição na parada de discos da Billboard. O CD concorreu ao Grammy de Melhor Álbum de Rock com: Coldplay – Mylo Xyloto; Muse – The 2nd Law; Bruce Springsteen – Wrecking Ball e Jack White – Blunderbuss.

Nota no Metacritc: 8.4

 

Coldplay – Viva la Vida (2008)

Com referências para a vida, morte e guerra, Viva la Vida or Death and All His Friends foi recebido com sucesso crítico e comercial. A canção Viva la Vida tornou-se a primeira do Coldplay a alcançar o topo das paradas nos Estados Unidos e no Reino Unido.

O álbum foi o mais vendido de 2008, vencendo nomes como Amy Winehouse, Rihanna, Madonna e Beyoncé. Com 13 faixas, o disco apareceu em diversas listas de melhores álbuns do ano em 2008: New York Post (posição 1); Rolling Stone (posição 7); Q (posição 3); Spin (posição 9); Entertainment Weekly (posição 6), e Billboard (posição 6).

Rendeu os singles de sucesso Violet Hill, Viva la Vida, Lovers in Japan, Lost! e Strawberry Swing. Viva la Vida or Death and All His Friends concorreu à estatueta de rock com Kid Rock – Rock N Roll Jesus; Kings of Leon – Only by the Night; Metallica – Death Magnetic e The Raconteurs – Consolers of the Lonely.

Nota no Metacritc: 7.2

Green Day – American Idiot (2005)

O sétimo álbum de estúdio do Green Day expressa a desilusão e a insatisfação de uma geração de americanos que cresceu em um período marcado por eventos tumultuosos como a Guerra do Iraque. A banda viria a ganhar o Grammy novamente cinco anos mais tarde, com o CD 21st Century Breakdown.

Considerado por muitos a obra mais importante da banda, American Idiot entrou nas paradas musicais de 27 países, no topo de 19 deles. Foram vendidas 16 milhões de cópias do trabalho, aclamado pela crítica. O sucesso do álbum inspirou um musical da Broadway e comenta-se que futuramente American Idiot será adaptado para o cinema.

Destaque para as canções Boulevard of Broken Dreams, Holiday, American Idiot e Jesus of Suburbia. Concorreu na categoria Melhor Álbum de Rock com: Elvis Costello e the Imposters – The Delivery Man; Hoobastank – The Reason; The Killers – Hot Fuss e Velvet Revolver – Contraband.

Nota no Metacritc: 7.9

U2 – All That You Can’t Leave Behind (2002)

O décimo disco do U2 vendeu mais de 12 milhões de cópias e ganhou sete Grammy Awards. All That You Can’t Leave Behind foi o único álbum a vencer duas vezes a categoria “Recorde do Ano” no Grammy em dois anos consecutivos; com as músicas Beautiful Day e Walk On.

A revista Rolling Stone colocou a obra na posição #139 na lista de “Os 500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos”, na 13ª posição de melhor álbum da década de 2000, além da música Beautiful Day ser classificada como a 9ª melhor canção do ano de 2002. Venceu os concorrentes: Ryan Adams – Gold; Aerosmith – Just Push Play; PJ Harvey – Stories from the City, Stories from the Sea e Linkin Park – Hybrid Theory.

O CD é aclamado pela crítica especializada. O site Allmusic publicou que “é um registro inteligente, cheio de reviravoltas nos seus arranjos, pequenos detalhes sonoros e estilos”. O U2 já vendeu mais de 175 milhões de álbuns mundialmente e ganharam 22 Grammy, mais do que qualquer outra banda.

Nota no Metacritic: 7.9

Santana – Supernatural (2000)

Supernatural recebeu 15 discos de platina nos EUA e venceu oito Grammys, incluindo o de melhor álbum do ano. O disco vendeu mais de 25 milhões de cópias em todo o mundo e está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

A obra do guitarrista mexicano Santana ficou doze semanas no topo da parada da Billboard. O hit Smooth ficou na primeira posição da Billboard Hot 100 por 12 semanas. A canção Maria Maria também chegou à primeira posição da parada, permanecendo por 10 semanas.

Supernatural venceu Melhor Álbum de Rock no Grammy disputando com: Melissa Etheridge – Breakdown; Limp Bizkit – Significant Other; Red Hot Chili Peppers – Californication e Tom Petty and the Heartbreakers – Echo.

Nota no Metacritic: N/A

Sheryl Crow – Sheryl Crow (1997)

O álbum auto-intitulado da cantora americana aborda tópicos de sua própria vida, rompimentos de relacionamento e questões morais e éticas. Abrange uma variedade de gêneros musicais, como rock , blues ,rock alternativo, country e folk .

O disco alcançou o sexto lugar na lista dos 200 mais vendidos dos EUA em 1997. O álbum contou com cinco singles, incluindo o sucesso internacional If It Makes You Happy, responsável por dar a Crow o Grammy de Melhor Performance Vocal Feminina de Rock. Sheryl voltaria a ganhar o prêmio de Melhor Álbum de Rock apenas dois anos depois, com The Globe Sessions.

O CD Sheryl Crow venceu os concorrentes: Dave Matthews Band – Crash; No Doubt – Tragic Kingdom; Bonnie Raitt – Road Tested e Neil Young e Crazy Horse – Broken Arrow.

Nota no Metacritic: N/A

Alanis Morissette – Jagged Little Pill (1996)

Até 2014, o clássico álbum da canadense acumulava 35 milhões de cópias vendidas no mundo todo, sendo um dos mais vendidos da história. Jagged Little Pill é o álbum internacional mais vendido no Brasil na década de 90, acumulando 550 mil cópias.

O disco ficou 12 semanas não consecutivas em primeiro lugar na Billboard 200, sendo um dos três álbuns – assim como Thriller de Michael Jackson e Falling into You de Celine Dion – a ficar no top 10 por 69 semanas. O CD é segundo mais vendido da década de 1990, atrás apenas do álbum Come On Over de Shania Twain.

Rendeu as famosas músicas You Oughta Know, Hand in My Pocket, You Learn e Ironic. Em 1996 venceu na categoria Melhor Álbum de Rock no Grammy, concorrendo com: Chris Isaak – Forever Blue; Pearl Jam – Vitalogy; Tom Petty – Wildflowers e Neil Young – Mirror Ball.

Nota no Metacritic: N/A

Compositor de ‘I Love Rock ‘n’ Roll’ morre vítima de coronavírus

Confira vinte bandas goianas para ouvir no Dia Mundial do Rock!