Cidades

Sábado, 5 Março 2011 às 20:31

Rio Verde: Jovens apreendidos por esfaquear menina de 12 anos




Mais Goiás, com informações do DM

Foram apreendidos outros dois adolescentes e Michael Ferreira do Nascimento, 18, suspeitos de envolvimento com o homicídio de Larissa Alves Guimarães Barbosa, 12.

A jovem foi morta com choque elétrico e 70 golpes de faca, na noite de quinta-feira (3), em Rio Verde, a 238 km de Goiânia.

Na noite do crime, duas jovens de 15 e 16 anos, suspeitas de cometer o homicídio, foram presas. Os acusados foram transferidos na manhã desta sexta-feira (04/03) para Goiânia

Larissa estaria na casa da avó e recebeu as autoras na porta de casa. No interior do imóvel, foram dados os choques com um aparelho importado, que segundo a polícia seria parecido com uma taser - arma não letal, de uso exclusivo militar - e facadas contra a menina. Sinais de luta corporal ficaram no quarto em que Larissa morreu, o que segundo a polícia indica que a vítima tentou se defender.

A avó da menina, Altiva Barbosa, 69, teria chegado ao quarto instantes após o crime e também foi torturada com choques. Nenhum dos suspeitos tinha passagem pela polícia e o crime causou comoção na cidade. "Em todo o tempo de polícia que tenho, já vi muitos crimes bárbaros. Este me impressionou pela organização com que foi planejado", disse o delegado Danilo Fabiano Carvalho de Oliveira, de Rio Verde, que investiga o homicídio.

Um jornalista do site Plantão Policial disse que antes das acusadas serem transferidas para Goiânia, na manhã desta sexta-feira, 04, ele ouviu uma conversa entre elas. Durante a conversa, de acordo com o jornalista, o tom era de deboche e que as acusadas não demonstraram nenhum remorso com o que fizeram com a jovem Larissa.

"Nossa equipe esteve na polícia civil antes das garotas serem transferidas para Goiânia, o que mais chamou a atenção de todos nós foi a frieza das duas garotas detidas. Durante a madrugada, quando as duas pensavam que ninguém estaria prestando atenção no que elas conversaram, o que se ouvia era a narração dos fatos aos demais colegas detidos, inclusive com os detalhes do crime e sorrisos debochados quando eram citados por elas os momentos de dor da pequena Larissa", disse o jornalista.

A Polícia Civil (PC) da cidade segue três vertentes na investigação. Segundo o delegado, a vítima teria sido testemunha de um crime no último dia 11 de janeiro, em que Ricardo Tavares, 26, foi morto a facadas e pedradas no Hospital Evangélico. Outra hipótese levantada pelo delegado seria crime passional, porque a vítima teria envolvimento com o namorado de uma das autoras. A terceira alternativa seria latrocínio, um roubo seguido de morte, porque foi levado o valor de R$ 126, pertencentes a Altiva.

Tópicos:


Noticias Relacionadas


Bookmark and Share